QUAL O NOME VERDADEIRO DE JESUS? - CLIK NA IMAGEM AQUI...

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

MULHER TEM CRÂNIO ESMAGADO A PEDRADAS APÓS SAIR DE FESTA EM BAR

Uma mulher de 23 anos foi morta a pedradas na madrugada deste domingo (14), na Rua A, Vila Nobelino, em Irecê, no norte da Bahia, de acordo com o site Central Notícia. 

Segundo a Polícia Civil, após receber informação sobre o assassinato, equipes foram até o local do crime e constataram o fato. A vítima foi identificada por Fabíola Souza Silva. Durante a madrugada a vítima estava em uma festa num bar, e saiu por volta das 4h juntamente com algumas amigas, sendo que pouco tempo depois, seu corpo foi encontrado com sinais de esmagamento do crânio, com o uso de pedradas.

A autoria e motivação para o crime são desconhecidas. Próximo ao corpo foram localizadas pedras com marcas de sangue. Peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) removeram o corpo para o Instituto Médico Legal de Irecê (IML).

Mulher com ossos de vidro que não passaria dos 2 anos chega aos 31 e se casa em Salvador


Mulher com ossos de vidro que não passaria dos 2 anos chega aos 31 e se casa em Salvador
Foto: Reprodução/ TV Bahia
Com expectativa de vida de apenas 2 anos quando nasceu, por conta de uma doença conhecida como ossos de vidro, a administradora Amanda Brito, de 31 anos, se casou nesta sexta-feira (12), feriado do Dia de Nossa Senhora Aparecida, em Salvador. 

Chamada cientificamente de osteogenesis imperfecta, a condição é hereditária, não tem cura e é caracterizada pela fragilidade dos ossos. Ao longo da vida, quem possui ossos de vidro pode ter dezenas e até centenas de fraturas, causadas por traumas simples, registradas antes mesmo do nascimento e até durante as contrações do parto. A gravidade da doença varia a depender do paciente.

Natural de Feira de Santana, Amanda mora atualmente no Rio. Apesar da condição, que traz inúmeras limitações, a baiana conseguiu se formar em administração e passar em um concurso público. Segundo o G1, ela também mantém um blog, onde faz reflexões sobre a vida. 

"Nunca esteve na minha lista de prioridades, de fazer na vida, casar. Sempre fui muito focada na cerreira, mas acredito que, quando a gente encontra alguém que vale a pena celebrar o amor, a celebração não pode deixar de existir", disse Amanda, de acordo com a publicação. 

O matrimônio foi celebrado com cerimônia na Igreja Santo Antônio da Barra, na Ladeira da Barra, centro da capital baiana. "É emocionante. Acho que passa um filme pela nossa cabeça. Toda a nossa tragetória até aqui e o que a gente espera viver daqui para frente. Viver em união, com muito amor. Todo mundo merece", relatou Amanda.

Papa Francisco excomunga bispos chilenos por abuso de menores


Papa Francisco excomunga bispos chilenos por abuso de menores
Foto: Mazur / catholicnews.org.uk
O Papa Francisco excomungou dois bispos chilenos por ligação com "abusos de menores". O anúncio foi feito pelo Vaticano neste sábado (13), após o pontífice receber o presidente o presidente chileno, Sebastián Piñera, em reunião privada.

Foram excomungados os bispos Francisco José Cox Huneeis, arcebispo emérito de La Serena, e Marco Antonio Ordenes Fernández, arcebispo emérito de Iquique. O texto divulgado pelo Vaticano afirma que a decisão do Papa é definitiva e não cabe recurso.

Ator José de Abreu critica Regina Duarte por apoio a Bolsonaro


por Joelmir Tavares | Folhapress
Ator José de Abreu critica Regina Duarte por apoio a Bolsonaro
Foto: Cauiá Franco / TV Globo
Apoiador histórico do PT, o ator José de Abreu disparou uma série de críticas neste sábado (13) à atriz Regina Duarte por fazer campanha para o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), a quem ele chamou de fascista.

Regina visitou o deputado nesta semana e tem pedido votos para ele em suas redes sociais, ao mesmo tempo em que critica o PT de Fernando Haddad. Ela rebateu os ataques minutos depois.

"Respeitei a posição de @reginaduarte enquanto ela apoiava a direita democrática com Serra, Alckmin, FHC, Doria. Quando apoiou o impeachment. Mas não respeito artista que apoia fascista. O fascismo odeia nossa profissão e nossa classe. Elimina quem discorda e quem é 'diferente'", escreveu Abreu no Twitter, pela manhã.

Ainda na rede social, o ator, que está no ar na novela "Segundo Sol", da TV Globo, afirmou: "Nossos colegas, @reginaduarte, sejam artistas, técnicos, gays, lésbicas ou heteros, estamos apavorados com o advento do fascismo. Ninguém mais trabalha sossegado com essa ameaça de trevas sobre nossas almas sensíveis. Não é admissível um colega de tantos anos não respeitar isso!".

Em outra mensagem, mais dura, ele acusou a colega de profissão de espalhar notícias falsas: "Bolsa-presidiário existe desde 1991. Sei que você é meio esquecida, não consegue decorar texto há muitos anos (inaugurou o uso de ponto eletrônico para atores na Globo), mas 'dar um Google' evitaria de você passar fake news do fascista que você apoia".

Em resposta, também na manhã deste sábado, Regina postou duas imagens em seu perfil no Instagram com comparações, segundo ela, do regime fascista de Benito Mussolini com propostas dos programas de governo de Haddad e de Bolsonaro.

As informações postadas pela artista sugerem compatibilidade de projetos do político italiano com planos do candidato petista.

"Quem é o fascista...?", escreveu ela na legenda de uma das fotos.

A partir deste sábado, candidato só pode ser preso em flagrante


A partir deste sábado, candidato só pode ser preso em flagrante
Foto: Antônio Cruz / Agência Brasil
Começa a valer neste sábado (13) a regra que impede que candidatos no segundo turno da eleição sejam presos, a não ser em caso de flagrante delito. A lei consta no Código Eleitoral e protege os concorrentes nos 15 dias que antecedem a disputa nas urnas.

O segundo turno da eleição acontece no próximo dia 28 de outubro. Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) concorrem pela Presidência da República. Em 13 estados e no Distrito Federal também vai haver disputa entre candidatos ao governo.

Ato contra intolerância em Berlim lembra Mestre Moa tem críticas a Bolsonaro


Ato contra intolerância em Berlim lembra Mestre Moa tem críticas a Bolsonaro
Foto: Reprodução / Twitter
Um ato contra o racismo e a favor de uma sociedade mais tolerante foi realizado na cidade de Berlim, na Alemanha, neste sábado (13). Durante a manifestação, foram exibidos cartazes em homenagem ao Mestre Moa do Catendê, morto no último domingo (7), e contra o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro.

O protesto foi feito sob o lema "Por uma sociedade aberta e livre: solidariedade em vez de exclusão". Segundo os organizadores, cerca de 240 mil pessoas compareceram. Em entrevista à imprensa local, o ministro alemão do Exterior, Heiko Maas, elogiou o ato. "Não nos deixaremos dividir, muito menos pelos populistas de direita", comentou.

Trump ameaça Arábia Saudita com 'punição severa' por sumiço de jornalista


por Folhapress
Trump ameaça Arábia Saudita com 'punição severa' por sumiço de jornalista
Foto: Joyce N. Boghosian
O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que Arabia Saudita pode estar por trás do desaparecimento do jornalista saudita Jamal Khashoggi e advertiu que, se esse for o caso, Washington adotará "severa punição".

"Vamos chegar a uma conclusão disso e haverá uma severa punição", disse Trump à CBS. 

"Neste momento, eles negam e negam veementemente. Poderiam ser eles? Sim", afirmou o presidente dos EUA na entrevista, que foi realizada na quinta-feira (11) e será transmitida na íntegra no domingo (14).

Khashoggi, um colaborador do Washington Post e crítico do governo saudita, não é visto desde que entrou no Consulado da Arábia Saudita, em Istambul, em 2 de outubro.

Nesta-feira (12) o jornal The Washington Post publicou que  autoridades turcas  informaram aos EUA que obteve gravações de áudio e vídeo que mostram o interrogatório, a tortura, a morte e o esquartejamento do corpo do jornalista saudita Jamal Khashoggi no consulado em Istambul,  

Trump disse que o assunto é especialmente importante por se tratar de um jornalista. Mas, ao ser indagado sobre quais medidas os EUA poderiam adotar contra o governo saudita, que é aliado dos americanos no Oriente Médio, ele apenas disse ser contra a restrição da venda de armas ao país.

"Há outras maneiras de punir, usar uma palavra muito forte, mas é verdade", acrescentou ele, nos trechos da entrevista divulgados pela CBS.

Bolsonaro diz que pessoa desempregada está mais 'propensa a frequentar hospitais'


Bolsonaro diz que pessoa desempregada está mais 'propensa a frequentar hospitais'
Foto: Divulgação
O candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro, disse que uma pessoa que não está empregada tende a ir com mais frequência ao hospital. A afirmação foi dada durante conversa com jornalistas neste sábado (13), enquanto falava sobre suas propostas de governo.

O candidato do PSL avaliou o que acredita que pode melhorar a situação da saúde no país. "Você tem que combater a corrupção, exatamente para que sobre recursos para aplicar onde interessa. Eu estou com uma bolsa de colostomia aqui do meu lado. São mais ou menos 200 mil pessoas no Brasil que tem o mesmo problema que eu tenho no momento. E eu sou um privilegiado. Como é que você ataca esse problema? Alguém que realmente tenha amor pela saúde para ocupar um ministério e determinar que se trabalhe para o bem da população e não para atender interesses político-partidários, que é uma regra. Agora, o melhor plano de saúde que se pode ter é emprego. E uma pessoa desempregada está propensa a frequentar, com maior intensidade, os hospitais”, destacou, de acordo com o G1.

Bolsonaro ainda tratou sobre suas propostas parao combate à violência. “Primeiro é escalar o time, é dessa forma. A outra, um pacote de medidas para que nós possamos, em um primeiro momento, diminuir a violência em nosso Brasil. Eu tenho uma máxima: eu não quero ninguém sofrendo, sendo torturado, passando necessidade em uma cadeia. Mas no que depender de mim, a polícia no encarceramento se fará presente. E o conselho que eu dou agora para quem quer fazer maldade: se não quiser ir para lá, não faça maldade. Passa por aí. O ser humano só respeita o que ele teme. E nós temos que mostrar para o ser humano que, se ele cometer um crime, ele vai pagar. E no que depender de mim também e do parlamento, obviamente, não teremos progressão de pena, muito menos saidões”.

Huck diz que não compactua com modo de pensar do PT e Bolsonaro tem 'grave problema'


Huck diz que não compactua com modo de pensar do PT e Bolsonaro tem 'grave problema'
Foto: Reprodução / Youtube / XP Investimentos
O apresentador Luciano Huck se pronunciou oficialmente sobre como avalia os dois candidatos à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Desde o início da campanha, o marido de Angélica havia dito que não defenderia nenhum candidato específico, apenas apoiaria nomes novos para o Congresso Nacional.

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo neste sábado (13), Huck citou o movimento que liderou, o RenovaBR, e comemorou a renovação de 61% no Senado e 50% na Câmara dos Deputados. "Claro que nem todos os novos nomes eleitos se encaixam nos requisitos de preparo e respeito à cidadania de que estamos falando, mas é inegável que temos uma quantidade expressiva deles entre os novos ocupantes das cadeiras do parlamento", apontou.

Já sobre a escolha para a presidência, o global disse que é necessário "refletir e escolher". "Não compactuo com o modo de pensar e de operar do PT. A tese de que temos que construir um país mais justo e menos desigual é sem dúvida o eixo que enxergo para orientar qualquer governo minimamente digno. Não há outra missão mais relevante do que atacar o enorme abismo social que criamos no país. Mas esta pauta não é nem pode ser monopólio do PT", defende. "Sem entrar em questões específicas, tenho enorme dificuldade em confiar em qualquer um que não tenha autocrítica, que não tenha a humildade de aprender com seus próprios erros", completa.

Porém, o candidato Jair Bolsonaro também não é exemplo para o apresentador. "Ao mesmo tempo, se acreditamos na máxima que diz 'conhecer o passado é a melhor maneira de construir o futuro', temos um grave problema do outro lado também. Bolsonaro se tornou conhecido propagando ideias ret´rogradas, sectárias, preconceituosas e belicistas. Tudo aquilo que não precisamos na atual conjuntura", diz Huck, ao frisar que um candidato à presidência "não pode pensar e muito menos dizer o que ele já disse ao longo dos seus 27 anos de vida pública".

No artigo, ele fala que ideias, trabalho e inteligência devem se sobrepor às armas, e que tem um medo em relação à eleição do capitão. "Tendo a não acreditar que, se eleito, Bolsonaro invista no caminho do autoritarismo ditatorial, com atos extremos como fechamento do Congresso, censura na mídia perseguição política e outros radicalismos antidemocracia. Mas temo sim que o discurso de ódio e de desprezo pelo diferente na boca de um mandatário eleito pela maioria legitime violência e discriminação", alerta.

Sem apoiar nenhum dos candidatos, Huck conclui apenas que, independente de quem for eleito, ele espera ser uma "resistência positiva" e que acredita no espaço para o amadurecimento e revisão de posições equivocadas. "A postura é e sempre será de estarmos à disposição, não de um ou de outro, mas do país e de tudo em que acreditamos".

Furacão Leslie deixa 27 feridos, 60 desabrigados e 300 mil sem energia em Portugal


Furacão Leslie deixa 27 feridos, 60 desabrigados e 300 mil sem energia em Portugal
Foto: Reprodução / O Sul
O furacão Leslie, que atingiu a costa de Portugal, na noite deste sábado (13) deixou 27 pessoas feridas, 60 desabrigadas e 300 mil sem energia elétrica. A furação arrancou árvores, derrubou linhas de energia e destruiu vitrines com rajadas de vento e chuva forte, de acordo com informações da Folha de S. Paulo.

O Leslie havia sido rebaixado de um furacão de categoria 1 para um ciclone pós-tropical com ventos de 110 km/h no momento em que pousou na costa atlântica de Portugal.

As árvores e telhados que foram arrancados pelos ventos danificaram carros e calçadas em Lisboa, capital portuguesa, e na cidade do norte do Porto. Mais de 200 linhas de energia foram afetadas pela tempestade e voos foram cancelados ou atrasados.

'Qual o limite da loucura do meu adversário?', diz Haddad


por Catia Seabra | Folhapress
'Qual o limite da loucura do meu adversário?', diz Haddad
Foto: Agência Brasil
O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, questionou neste domingo (14) o comportamento de Carlos Eduardo, filho do adversário Jair Bolsonaro, que reproduziu nas redes sociais uma notícia falsa de que o petista defendera o incesto.

A publicação, um tuíte com um texto do escritor Olavo de Carvalho, dizia que Haddad pregava a derrubada do tabu do incesto. O autor retirou o texto das redes sociais, explicando-se depois. Mas Carlos Bolsonaro a manteve com a pergunta "é isso que você quer ver governando o país?"

Após um "encontro com pessoas com deficiência pela democracia", Haddad listou mentiras das quais seria vítima.

"Qual o limite da loucura do meu adversário? Acusar um oponente de defender o incesto. Onde nós vamos parar?", questionou Haddad.

O petista também disse que vê com preocupação o que chama de projeto de poder de líderes igreja Universal do Reino de Deus, citando ainda o fato de Bolsonaro ter chamado dom Paulo Evaristo Arns de vagabundo e picareta.

"Onde é que esta loucura vai parar? Hoje, uma igreja católica amanheceu pichada com uma suástica. Eu fui perseguido por um carro por um bolsonarista chamando a igreja católica de igreja gay".

Haddad cobrou ainda a imprensa pelo que chamou de omissão. "Vocês não vão acordar para o risco que nós estamos correndo? Quando é que a imprensa vai acordar? A ombudsman da Folha de S.Paulo está fazendo justamente isso".

Segundo Haddad, "se a imprensa não ajudar, não vai acabar bem". "A democracia está em risco, acordem", apelou.

Aposentadoria automática por idade no INSS já chega a 17,3% do total


por Cristiane Gercina | Folhapress
Aposentadoria automática por idade no INSS já chega a 17,3% do total
Foto: Divulgação
A concessão de aposentadoria automática por idade, sem a necessidade de ir a uma agência da Previdência Social, somou 17,3% do total de pedidos desde maio.

Há cinco meses, quem pede a aposentadoria por idade não precisa mais ir até uma agência do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

A ideia é que a concessão saia na hora caso o segurado esteja com a documentação em dia.

O problema é que nem sempre isso ocorre. As falhas no cadastro do INSS são comuns e as negativas superam os números de liberação.

Em todo o país, segundo o INSS, desde maio, foram feitos 228 mil requerimentos de aposentadoria por idade, sem necessidade de agendamento.

Desse total, foram concedidos 39.341 benefícios por idade no país (17,3%).

No estado de São Paulo, o total de pedidos automáticos desse benefício foi de 63.643 no período. Foram concedidas 12.962 aposentadorias sem agendamento.

A maioria das aposentadorias por tempo de contribuição são concedidas após a visita do segurado a uma agência do INSS.

O advogado Roberto de Carvalho Santos, do Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários), lembra que o segurado deve estar com o Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais) em dia para conseguir a concessão automática.

Se houver negativa, há alguns caminhos para garantir a renda mensal.

"Se não foi concedido, o INSS vai ter de responder o motivo. Após a resposta, o segurado tem 30 dias para entrar com um recurso", diz o especialista.

Outra possibilidade, diz Santos, é ir direto ao Judiciário com os documentos que garantam o direito.

"Mas aconselho que, se há chances de reverter a decisão, é importante insistir na agência, pois a Justiça é lenta."

Segundo o INSS, o percentual de concessão das aposentadorias automáticas está entre 15% e 20%, no caso dos benefícios por idade, que só são solicitados dessa forma.

A aposentadoria por tempo de contribuição pode ser automática ou não, com a ida do segurado à agência.

"Os demais requerimentos que não são concedidos automaticamente são distribuídos para análise manual por um servidor", diz o INSS.

Haddad volta a questionar difusão de fake news pela campanha de Bolsonaro


por Catia Seabra | Folhapress
Haddad volta a questionar difusão de fake news pela campanha de Bolsonaro
Foto: Agência Brasil
O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, voltou a questionar neste domingo (14) a difusão de notícias falsas pela campanha de seu adversário Jair Bolsonaro (PSL), que chamou de caluniosa. Ele fez ainda um apelo "para eles pararem com isso".

"Aí eles dizem: 'mas eu não posso me responsabilizar'. Mas quem está pagando por tudo isso? Será que custa barato fazer essa campanha por WhatsApp?"

Após um "encontro com pessoas com deficiência pela democracia", Haddad listou mentiras das quais seria vítima. Ele questionou o comportamento de Carlos Eduardo, que reproduziu nas redes sociais uma notícia falsa de que o petista defendera o incesto.

A publicação, um tuíte com um texto do escritor Olavo de Carvalho, dizia que o candidato pregava a derrubada do tabu do incesto. O autor retirou o texto das redes sociais, explicando-se depois. Mas Carlos Bolsonaro a manteve com a pergunta "é isso que você quer ver governando o país?"

"Qual o limite da loucura do meu adversário? Acusar um oponente de defender o incesto. Onde nós vamos parar?", questionou Haddad.

Ele também reagiu a acusação feita pela campanha de Bolsonaro de que, se eleito, o petista transformará o Brasil na vizinha Venezuela.

Em resposta, Haddad disse que essa é uma tentativa do adversário de desviar atenção sobre seu próprio passado.

"Isso é jogo de cena para desviar a atenção sobre o passado dele, que elogia torturador, que diz para uma colega de parlamento que não a estupra porque ela não merece, que fala mal do cardeal dom Paulo Evaristo Arns, chamando ele de picareta e vagabundo", afirmou.

Segundo Haddad, essa é uma estratégia "para mudar de assunto, desviar atenção".

"Quem tem que responder sobre seu passado é ele, que defendeu a tortura, que defendeu o extermínio de 30 mil pessoas", acrescentou o ex-prefeito.

"Qual é o exemplo que ele está dando? Só fala em morte", perguntou Haddad.

Em resposta ao adversário, Haddad disse também que o PT nunca violou um princípio democrático nos anos que governou o país e sempre fortaleceu as instituições democráticas.

"Nunca, nunca, nunca uma instituição foi enfraquecida, pelo contrário. Todas foram fortalecidas. O Estado democrático de direito é um princípio e segue sendo um princípio basilar da nossa conduta".

Ele disse também que Bolsonaro não o enfrenta em debate porque seria confrontado sobre a origem de mentiras difundidas nas redes sociais.

"E tem uma razão para ele não participar de debates. Ele não vai poder dizer isso na minha cara, né? Não vai poder afirmar nada do que ele afirma pela internet frente a frente, não vai conseguir sustentar". 

O petista também disse ainda que vê com preocupação o que chama de projeto de poder de líderes igreja Universal do Reino de Deus, citando ainda o fato de Bolsonaro ter chamado dom Paulo Evaristo Arns de vagabundo e picareta.

"Onde é que esta loucura vai parar? Hoje, uma igreja católica amanheceu pichada com uma suástica. Eu fui perseguido por um carro por um bolsonarista chamando a igreja católica de igreja gay".

Haddad cobrou ainda a imprensa pelo que chamou de omissão. "Vocês não vão acordar para o risco que nós estamos correndo? Quando é que a imprensa vai acordar? A ombudsman da Folha está fazendo justamente isso".

Segundo Haddad, "se a imprensa não ajudar, não vai acabar bem". "A democracia está em risco, acordem", apelou.

Bolsonaro diz que se depender dele, não haverá progressão de pena e saídas temporárias


por Folhapress
Bolsonaro diz que se depender dele, não haverá progressão de pena e saídas temporárias
Foto: Divulgação
O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) afirmou à reportagem do Jornal Nacional neste sábado (13) que se depender dele e o Congresso Nacional aprovar, não haverá mais progressão de pena e saída temporária para presos no país.

"O ser humano só respeita o que ele teme e nós temos que mostrar para o ser humano que, se ele cometer um crime, ele vai pagar. No que depender de mim também, e do parlamento, obviamente, não teremos progressão de pena, muito menos 'saidões'", disse o candidato ao ser questionado sobre políticas para segurança pública.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Haddad exclui Lula e reduz vermelho em novo material de campanha para 2º turno


Haddad exclui Lula e reduz vermelho em novo material de campanha para 2º turno
Foto: Divulgação
Fernando Haddad e seus aliados optaram por modificar o material de campanha para o segundo turno. De acordo com a Folha de S. Paulo, o comitê eleitoral da chapa petista reduziu a aparição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a cor vermelha, que é a marca petista, do novo material de campanha.

Nas novas peças da campanha eleitoral, até a bandeira mudou de cor. São dois modelos de bandeira nas cores azul e branca. Também nas fotos oficias e adesivos, o vermelho foi substituído por azul, branco e as cores da bandeira do Brasil.

Segundo a Folha, o vermelho limita-se a um detalhe em que o número 13 aparece em cor amarela. Na foto oficial, Haddad e sua vice, Manuela D'Ávila (PC do B), usam blazer. Ele, azul. Ela, bordô. Em azul, está a inscrição "Todos pelo Brasil". Figura central no primeiro turno, Lula não aparece mais.

Datafolha: Bolsonaro lidera e aparece com 58% dos votos válidos no 2º turno


Datafolha: Bolsonaro lidera e aparece com 58% dos votos válidos no 2º turno
Fotos: Tânia Rêgo / Agência Brasil | Ricardo Stuckert
O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, lidera a primeira pesquisa de intenção de votos do Datafolha após o primeiro turno. No levantamento divulgado na noite desta quarta-feira (10), ele aparece com 58% dos votos válidos, contra 42% do seu concorrente, Fernando Haddad (PT).

O Datafolha ouviu 3.235 pessoas em 227 municípios nesta quarta. A margem de erro do levantamento, contratado pela Folha e pela TV Globo, é de dois pontos para mais ou para menos. A pesquisa foi protocolada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-00214/2018.

Cabo Daciolo pede anulação do primeiro turno ao TSE


Cabo Daciolo pede anulação do primeiro turno ao TSE
Foto: Reprodução / Facebook
Cabo Daciolo (Patriota) pediu nesta quarta-feira (10) a Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a anulação do primeiro turno das eleições e a adoção do sistema de cédulas para o registro do voto. O candidato que concorreu à Presidência da República, aponta que no último domingo (7) "inúmeras denúncias de mau funcionamento" e de "adulteração de grande contingente de urnas" surgiram em todas as regiões do País.

O parlamentar encerrou o primeiro turno da eleição presidencial em sexto lugar, com 1,3 milhão de votos (1,26% do total), à frente do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB) e da ambientalista Marina Silva (Rede).

Ao chegar ao TSE para protocolar o pedido, Daciolo provocou um frenesi entre servidores da Corte Eleitoral, que largaram o trabalho para tirar fotos com o parlamentar. De acordo com o jornal Estado de S.Paulo, Daciolo atendeu aos pedidos de cada servidor e repetiu diversas vezes "Glória a Deus" em vídeos gravados dos celulares dos funcionários do TSE.

"A imprensa noticia que foram substituídas 2.400 urnas no primeiro turno, este número é exemplificativo de grave falha no sistema, seja por irregularidade técnica ou seja pelo indício de fraude, haja vista que certamente essas urnas que foram recolhidas refletem uma irregularidade sistêmica de grandes proporções que certamente não foi detectada", alega o parlamentar em sua petição.

Petrobras reduz preço do litro da gasolina pela segunda vez em uma semana


Petrobras reduz preço do litro da gasolina pela segunda vez em uma semana
Foto: Reprodução / EBC
A Petrobras reduziu o preço da gasolina vendida pelas refinarias pela segunda vez em uma semana, acompanhando a queda da cotação do dólar. O valor do litro do combustível será de R$ 2,1691, em média a partir desta quinta-feira (11).

É a quarta queda seguida desde o recorde de R$ 2,2514 por litro atingido no dia 14 de setembro. Desde que anunciou o uso de mecanismos de proteção financeira para reduzir as volatilidades do preço, no dia 6 de setembro, a estatal mexeu no preço da gasolina seis vezes, de acordo com a Folha de S. Paulo.

João Bacelar foi deputado federal que mais gastou por cada voto conquistado na Bahia


por Guilherme Ferreira
João Bacelar foi deputado federal que mais gastou por cada voto conquistado na Bahia
Foto: Luis Macedo/ Câmara dos Deputados
O deputado federal João Bacelar (PR), reeleito no último domingo (7), foi quem mais gastou na Bahia para ter cada um dos votos que o garantiram um mandato na Câmara dos Deputados. Com base em dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ele investiu R$ 19,34 para cada eleitor que o escolheu nas urnas. Nenhum outro deputado eleito chegou sequer a R$ 10.

João Bacelar teve 84.684 votos no último domingo e já declarou ter pago aproximadamente R$ 1,6 milhão em sua campanha - nenhum outro deputado eleito chegou a R$ 1 milhão de investimento. No outro lado da lista, o melhor "custo-benefício" foi de Alex Santana, que foi apoiado por 62.922 baianos - 3º menor número entre os eleitos - e gastou R$ 0,25 por cada um. Ele e Raimundo Santana foram os únicos que ficaram abaixo da marca de R$ 1.

O segundo com mais custos na relação é Arthur Maia (DEM), com R$ 9,31. Depois vêm Cacá Leão (PP), com R$ 9,22; Paulo Azi (DEM), com R$ 8,90; e Elmar (DEM), com R$ 8,14. Todos os demais ficaram abaixo dos R$ 8 na relação despesas pagas por voto. Com o apoio de 333.264 eleitores, Pastor Sargento Isidório (Avante) foi, de longe, o mais votado na Bahia. No entanto, ele teve apenas R$ 1,86 de investimento na campanha por voto conquistado.
 

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Bolsonaro mentiu ao falar de livro de educação sexual no ‘Jornal Nacional’

No que talvez tenha sido o momento mais tumultuado da sua entrevista no Jornal Nacional, na noite desta terça-feira, Jair Bolsonaro (PSL) mostrou às câmeras por poucos segundos um livro intitulado Aparelho sexual e Cia, cuja capa traz o desenho de um menino de topete loiro olhando um tanto quanto assustado para o que tem dentro das próprias calças. Seria só mais um dos incontáveis episódios polêmicos de um candidato que tem esbravejado contra o que chama de campanha para o ensino de "ideologia de gênero" nas escolas do Brasil, não fosse um detalhe: praticamente tudo o que o candidato falou quando se referiu à publicação não encontra respaldo na realidade.
"Tomei conhecimento [em 2010] do que estava acontecendo lá [num corredor da Câmara dos Deputados]. Eles tinham acabado o nono Seminário LGBT Infantil", disse Bolsonaro, após ter sido perguntado pela jornalista Renata Vasconcellos sobre suas manifestações prévias de caráter homofóbico. "Estavam discutindo ali, comemorando o lançamento de um material para combater a homofobia, que passou a ser conhecido como kit gay. Entre esse material estava esse livro lá. Então, o pai que tenha filho na sala agora, retira o filho da sala, para ele não ver isso aqui. Se bem que na biblioteca das escolas públicas tem", emendou, para logo ser interrompido pelo âncora do JN William Bonner, que o lembrou que não estava permitido mostrar qualquer material gráfico durante a entrevista.
Bolsonaro deu a entender na sua declaração que o livro, de autoria do suíço Philippe Chappuis (conhecido como Zep) e da francesa Hélène Bruller, formava parte do projeto Escola sem Homofobia, que recebeu a alcunha de kit gay e que criou uma forte polêmica no primeiro mandato da ex-presidenta Dilma Rousseff. Basicamente, tratava-se de um kit de apoio para a formação de professores em temas relacionados aos direitos LGBT, como o combate à violência e ao preconceito no ambiente escolar. A pressão de grupos conservadores, no entanto, fez com que a então presidente vetasse a proposta, e as peças de conscientização nunca saíram da gaveta. Logo no estreia da administração Dilma, a bancada evangélica dava uma clara demonstração de força.

sábado, 6 de outubro de 2018

Semana fecha com desvalorização de 4,51% do dólar; moeda está cotada a R$3,85


Semana fecha com desvalorização de 4,51% do dólar; moeda está cotada a R$3,85
Foto: Reprodução / EBC
A cotação do dólar encerrou a semana acumulando baixa de 4,51%, valor que representa a maior queda desde 11 de março de 2016. Na sexta-feira (5), a moeda norte-americana fechou recuando 1%, sendo cotado a R$ 3,8570 para venda.

De acordo com o Banco Central, a semana foi encerrada somente ofertando os leilões tradicionais de swaps cambiais, sem nenhuma oferta de venda futura da moeda norte-americana.

Segundo a Agência Brasil, o índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), encerrou o último pregão da semana em queda de 0,76%, com 82.321 pontos. Os papéis das principais empresas, chamadas de blue chip, também acompanharam a queda, com Petrobras encerrando em baixa de 0,25%, Vale em 2,23%, Itau em desvalorização de 0,34% e Bradesco em queda de 1,49%.

Lula escreve carta ao povo brasileiro pedindo voto em Haddad como presente de aniversário


Lula escreve carta ao povo brasileiro pedindo voto em Haddad como presente de aniversário
Foto: Reprodução / Twitter
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva escreveu um bilhete que foi divulgado por sua assessoria através das redes sociais. Na mensagem, Lula fala do seu aniversário e pede como presente o voto no candidato à presidência da República Fernando Haddad (PT). Dia 6 de outubro é o meu aniversário oficial. Espero ganhar de presente no dia 7 de outubro o voto do povo brasileiro no Haddad", diz o bilhete escrito a mão. No entanto, a data de nascimento do ex-presidente é dia 27 de outubro de 1945. 

Neste domingo (7), Lula completa seis meses de encarceramento em Curitiba, de um total de 12 anos e um mês de sentença. O ex-presidente está impedido de votar pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná.

Total de cidades com apoio das Forças Armadas nas eleições passa de 325 para 513


Total de cidades com apoio das Forças Armadas nas eleições passa de 325 para 513
Foto: Divulgação
O número de municípios com atuação das Forças Armadas para manter a segurança durante a eleição passou de 325 nas eleições de 2014 para 513 este ano, segundo o Ministério da Defesa. 

Segundo o último balanço, divulgado nesta sexta-feira (5), as cidades que receberão o apoio das Forças Armadas estão em 11 estados: Acre (11 municípios); Maranhão (72); Piauí (134); Rio de Janeiro (69); Amazonas (27); Mato Grosso (19); Mato Grosso do Sul (4); Pará (61); Rio Grande do Norte (97); Tocantins (14) e Ceará (5).   

A chamada Garantia da Votação e Apuração (GVA) é uma atividade militar semelhante às missões de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). No entanto, a GVA é utilizada para manter a normalidade da segurança pública nos locais de votação e apuração durante o pleito eleitoral nas localidades onde o TSE requisitar.

De acordo com a Agência Brasil, os locais que pediram apoio na segurança também aumentaram em relação às últimas eleições, municipais, em 2016, quando 467 municípios receberam a ajuda.

Justiça Eleitoral atende pedido do PT e tira do ar fake news de ‘mamadeiras eróticas’


Justiça Eleitoral atende pedido do PT e tira do ar fake news de ‘mamadeiras eróticas’
Foto: Reprodução / EBC
A Justiça Eleitoral atendeu a denúncia e pedido da chapa de Fernando Haddad (PT) e determinou a exclusão de um dos vídeos com fake news que viralizaram nas redes sociais durante o período eleitoral. 

De acordo com a coluna Painel da Folha de S. Paulo, no vídeo, postado em perfil identificado com o nome de Lourdes Silva, dizia que o petista iria distribuir mamadeiras com bico em forma de pênis em creches. A publicação teve quase cinco milhões de visualizações.

O ministro Sergio Silveira Banhos não só autorizou a remoção do filme como determinou que o Facebook entregue os dados do usuário.

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Gilmar Mendes manda soltar irmão de Beto Richa e outros sete presos


Gilmar Mendes manda soltar irmão de Beto Richa e outros sete presos
Foto: Carlos Moura / STF
O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou soltar Pepe Richa, irmão do ex-governador do Paraná Beto Richa, e mais sete presos na 55ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Integração II. Eles estão detidos na Região Metropolitana de Curitiba.

De acordo com informações do G1, Gilmar usou a mesma justificativa que levou em conta para soltar Beto Richa na Operação Rádio Patrulha. Na avaliação dele, os fatos e provas apresentados são "insuscetíveis de ensejar a prisão provisória do reclamante".

A 55ª fase da Operação Lava Jato investiga crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, estelionato e peculato. A apuração é em torno de um esquema relacionado à administração das rodovias federais no Paraná.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Vice de Bolsonaro, Mourão volta a criticar 13º salário: 'Todos saímos prejudicados'


Vice de Bolsonaro, Mourão volta a criticar 13º salário: 'Todos saímos prejudicados'
Foto: Agência Brasil
Após dizer que ficaria em “silêncio obsequioso”, o general Hamilton Mourão (PRTB), vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República voltou a criticar o 13º salário nesta terça-feira (2). Para ele, com o pagamento do benefício, “todos saímos prejudicados”. 

“O 13º eu simplesmente disse que tem que ter planejamento, entendimento de que é um custo. Na realidade, se você for olhar, seu empregador te paga 1/12 a menos [por mês]. No final do ano, ele te devolve esse salário. E o governo, o que faz? Aumenta o imposto para pagar o meu. No final das contas, todos saímos prejudicados”, disse o general no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, de acordo com a Folha de S. Paulo. 

Mourão já havia sido repreendido por Bolsonaro após dizer, na semana passada, que o 13º é uma “jabuticaba brasileira” e "mochila nas costas dos empresários". O capitão da reserva disse, então, que o vice deveria ficar “quieto” porque estava “atrapalhando”.  

“Se você recebesse seu salário condignamente, você economizaria e teria mais no final do ano. Essa é minha visão. Não pode acabar [o 13º]. O que eu mostrei é que tem que haver planejamento. Você vê empresa que fecha porque não tem como pagar. O governo tem que aumentar imposto, e agora já chegou no limite e não pode aumentar mais nem emitir títulos. Uma situação complicada”, continuou Mourão nesta terça (2), destacando que o 13º é um dos “custos” que o Brasil precisa diminuir para ter competitividade internacionalmente. 

O general falou que a única possibilidade de mexer no 13º salário seria um “amplo acordo nacional para aumentar os salários”.

EUA ameaçam atacar russos se tornarem míssil proibido operacional


por Igor Gielow | Folhapress
EUA ameaçam atacar russos se tornarem míssil proibido operacional
Foto: Reprodução / Agência Brasil
Os Estados Unidos ameaçaram militarmente a Rússia caso Moscou torne operacional um novo modelo de míssil com capacidade de carregar ogivas nucleares. A inusual ameaça, bravata ou não, foi feita pela embaixadora americana junto à Otan (aliança militar ocidental) nesta terça-feira (2). Se o sistema ficar operacional, disse Kay Bailey Hutchinson, "os EUA então examinar a capacidade de anular um míssil que possa atingir algum de nossos países".

Ela se referia a um novo míssil de cruzeiro desenvolvido pela Rússia, o 9M729. O governo americano afirma que a arma fere o Tratado de Forças Nucleares Intermediárias, um dos mais importantes para colocar o fim da Guerra Fria.

O tratado, de 1987, baniu todos os mísseis de cruzeiro com alcance entre 500 e 5.500 km. Esse tipo de míssil viaja a velocidades subsônicas e de forma "inteligente", desviando de obstáculos e muito próximo do solo, o que o torna difícil de ser detectado por defesas inimigas.

"Contra-medidas [americanas] seriam eliminar os mísseis que estão sendo desenvolvidos em violação ao tratado. Eles estão avisados", disse ela, emulando a agressividade dos comunicados de seu chefe, o presidente Donald Trump.

Como ninguém espera que Washington resolva bombardear posições de lançamento de mísseis russos sem provocar a Terceira Guerra Mundial com isso, a ameaça deve ser lida como mais um movimento para colocar pressão sobre Moscou. Com isso, Trump afaga a Otan, a quem já chamou de obsoleta e de quem cobra maior participação na composição orçamentária da defesa europeia.

Nesta quarta (3) haverá uma reunião de cúpula dos ministros responsáveis pela defesa dos 28 países integrantes da Otan. A Rússia, que sempre negou que seu míssil infrinja o acordo de 1987, não fez nenhum comentário sobre a fala da embaixadora, ocorrida a repórteres em Bruxelas.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, afirmou que a aliança considera que o governo de Vladimir Putin não deu garantias de que seu novo míssil não tem as capacidades temidas.

O tratado de 1987 olhava para um teatro de operações europeus em caso de guerra entre o Ocidente e a então União Soviética. Eliminou assim 800 ogivas americanos e 1.800 soviéticas até 1991.

A questão toda é que o texto proíbe versões terrestres. Os russos já testaram a nova arma lançada de navios e aviões, tecnicamente respeitando o tratado. Ele tem 2.000 km de alcance e, segundo reportagem do The New York Times no ano passado, já tem dois batalhões operacionais --que poderiam usar lançadores usado pelo míssil balístico Iskander, que é permitido, para enganar os europeus.

Datafolha: Bolsonaro cresce e chega a 32%, enquanto Haddad oscila para 21%


por Lucas Arraz
Datafolha: Bolsonaro cresce e chega a 32%, enquanto Haddad oscila para 21%
Foto: Reprodução / Poder 360
O deputado Jair Bolsonaro (PSL) alcançou 32% das intenções de voto na mais recente pesquisa do Datafolha, divulgada nesta terça-feira (2). De acordo com o instituto, o líder da corrida presidencial foi favorecido pelo foco de manifestações que levaram milhares de opositores e admiradores ao seu nome às ruas das principais cidades no fim de semana. Bolsonaro ganhou quatro pontos percentuais desde a semana passada. 

 
Com rejeição crescente, o segundo lugar na disputa, Fernando Haddad (PT) manteve seus 21% de intenções de voto. Bolsonaro e Haddad empatam nas simulações feitas para o segundo turno. No cenário em que os dois se enfrentam, Bolsonaro cresceu de 39% para 44% e Haddad oscilou de 45% para 42%.

O candidato do PDT, Ciro Gomes, que disputava o campo da esquerda com os petistas desde o início do ano, se manteve com 11%, empatado com o tucano Geraldo Alckmin (PSDB), que oscilou de 10% para 9%.

O Datafolha entrevistou 3.240 eleitores de 225 municípios nesta terça. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pela Folha. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-03147/2018.

Bolsonaro supera Haddad, mas fica atrás de Ciro e Alckmin no 2º turno, aponta Datafolha


Bolsonaro supera Haddad, mas fica atrás de Ciro e Alckmin no 2º turno, aponta Datafolha
Foto: Miguel Ângelo / CNI
O candidato à presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, supera em 2% o concorrente do PT, Fernando Haddad, na simulação de segundo turno entre os dois apresentada pelo Datafolha nesta terça-feira (2). Considerando a margem de erro, eles estão tecnicamente empatados.

 
Segundo o levantamento Bolsonaro está com 44% e Haddad está com 42%. Líder no primeiro turno segundo o Datafolha, o candidato do PSL fica atrás de Geraldo Alckmin (PSDB) e de Ciro Gomes (PDT), mas também tecnicamente empatado dentro da margem de erro.

 
Na simulação contra Alckmin, Bolsonaro tem 41%, contra 43% do concorrente do PSDB. Contra Ciro, o candidato do PSL é superado por 46% a 42%.

 
O Datafolha entrevistou 3.240 eleitores de 225 municípios nesta terça. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pela Folha. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-03147/2018.