QUAL O NOME VERDADEIRO DE JESUS? - CLIK NA IMAGEM AQUI...

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Com fraca intensidade de La Niña, verão deverá ter regime de chuvas normal

Com fraca intensidade de La Niña, verão deverá ter regime de chuvas normal
Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil
O verão 2017/2018 deve ter um regime de chuvas regular na maior parte do país, conforme informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A estação começa na próxima quinta-feira (21). “A perspectiva é de muitas chuvas nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e particularmente na Região Sul. É um período que, essencialmente, é muito chuvoso. Estamos com chuvas bem marcantes e a tendência é que o verão permaneça como está terminando a primavera, com muita chuva nessas regiões”, afirmou o meteorologista Luiz Cavalcanti, em entrevista à Agência Brasil. A normalidade climática será consequência do fenômeno conhecido como La Niña, que acontece quando há o resfriamento das águas do Oceano Pacífico – este ano ele é predominante, mas terá pouca intensidade. Há perspectiva também de chuva no semi-árido do Nordeste, que registra seca há cinco anos. “O La Niña tem se manifestado, mas com intensidade fraca, e a tendência é que neste verão seja o fenômeno predominante. Em função do La Niña, a gente prevê chuvas no semi-árido já a partir de dezembro. Já temos bastante chuvas no sul do Maranhão e do Piauí. Nas partes oeste e norte da Bahia e em algumas regiões do Ceará, Pernambuco e Paraíba já ocorreram chuvas. Isto é prenúncio de que teremos uma estação diferente do que foi nos últimos cinco anos, que foi de muito seca”, aponta Cavalcanti.  Entre as exceções está o Paraná, que pode ter menos chuva do que o normal. “Tem algumas regiões no Paraná, como no norte e na parte oeste, em que alguns modelos de longo prazo indicam escassez de chuva”, explicou. Na região Sudeste, o regime não deve seguir o padrão médio do período em São Paulo e Minas Gerais. “Em algumas regiões, como o Estado do Rio de Janeiro, haverá chuva nos padrões normais e até acima disso. Mas na parte central do estado de São Paulo e no sul de Minas Gerais, as perspectivas indicam chuvas abaixo dos padrões normais”. Já no Distrito Federal, que registrou chuvas abaixo da média este ano, chegando a passar por racionamento, terá abundância de precipitações. “No mês de dezembro chove em média 250 milímetros e estamos prevendo chover dentro disso e até um pouquinho acima. Já choveu 195 milímetros, então vamos chegar na média e esperamos até que supere isso. Em janeiro, o modelo indica que também teremos bastante chuva. Não dá para afirmar como ficarão os reservatórios, em função da situação crítica em que eles ainda se encontram. Só poderemos ter uma resposta mais representativa no fim de janeiro, quando termina os meses mais chuvosos de Brasília”.