QUAL O NOME VERDADEIRO DE JESUS? - CLIK NA IMAGEM AQUI...

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Alemanha: Angela Merkel confirma que concorrerá ao quarto mandato como chanceler


por AE | Estadão Conteúdo
Alemanha: Angela Merkel confirma que concorrerá ao quarto mandato como chanceler
Foto: Presidencia de la Republica Mexicana
A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que comandou o país por várias crises globais como sua primeira líder mulher, disse neste domingo que buscará um quarto mandato como chanceler nas eleições gerais do próximo ano. Mais cedo, a agência de notícias alemã DPA havia antecipado a candidatura de Merkel, citando fontes de seu partido. "Eu literalmente pensei sobre essa decisão sem parar... Mas estou pronta para concorrer novamente", disse Merkel a repórteres depois de se reunir com membros de alto escalão do seu partido União Democrata Cristã (CDU), de centro-direita. "Quero servir à Alemanha". Merkel disse que espera fortes desafios tanto de partidos à esquerda como de siglas mais à direita, porque a Alemanha se tornou mais polarizada. "Esta eleição será difícil - como nenhuma outra eleição desde a reunificação" das Alemanhas Ocidental e Oriental em 1990, disse Merkel. A chanceler de 62 anos afirmou que também vai concorrer à reeleição como presidente do partido na convenção nacional do CDU no próximo mês. Ela não enfrenta nenhuma grande oposição dentro da sigla. Física por formação, Merkel tornou-se chanceler em 2005. É a primeira líder da Alemanha reunificada a ter crescido sob o comunismo na antiga Alemanha Oriental. Se ela vencer no próximo ano e completar novo mandato de quatro anos, Merkel vai se equiparar ao seu mentor, Helmut Kohl, que ficou 16 anos no cargo. Cerca de 60% dos alemães entrevistados em uma pesquisa recente disseram querer que Merkel voltasse a concorrer ao cargo, disse Manfred Guellner, chefe da empresa de pesquisas Forsa. "Nestes tempos difíceis, Merkel é um pilar de estabilidade", disse Guellner. "As pessoas têm a sensação de que ela representa bem os interesses alemães no exterior".